Lígia, 24 anos. A pior hora é quando eu lembro que tenho que entrar aqui e atualizar esse número mais uma vez.

Contato/MSN: ligiamelia@hotmail.com

Alquimia do Verbo

Onomatopéia

One Last Run

Um pouco de bossa

Tutameia em Prosa

Amarelo Banana

Champ Vinyl

Champ Chronicles

Me Exorcisa

O Vale de uma Boneca

Isshou

Carolina Villenflusser

Manual do Cafajeste

Te Dou Um Dado

 

Pequeno dicionário Veja de palavras ofensivas Ma...

A infanticida Marie Farrar Bertold Brecht 1 Mari...

Ontem eu peguei ônibus com o Manoel Carlos. Verdad...

"Vou te passar as informações por e-mail, você pod...

Estou farto do lirismo comedido do lirismo comport...

Algumas amigas minhas morrem por um PP. Se for do ...

Diferente do meu tempo, o ônibus não veio com o le...

I.Recebi um dia desses um release falando sobre um...

Uma coisa que eu nunca encontrei foi o fundo do po...

Ela entrou no ônibus e sentou na primeira cadeira,...

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

*sábado, 18 de agosto de 2007

Tauane tem onze anos, apesar de não aparentar mais de oito. Mora em Franco da Rocha, com a mãe e mais cinco irmãos. Tem nove, os outros "ficam na rua". A mãe está grávida de mais um que, se for menina, vai se chamar Vitória.

- Você é solteira?
- Eu sou.
- Minha tia também é. O marido dela morreu. Ele bebia muito e, um dia morreu depois de três dias doente.

O pai de Tauane morreu, assim como o marido da tia dela. Na casa dela, são onze quartos, que, pelo que ela conseguiu explicar, sua família divide com outras. No quarto dela, ficam a TV, o vídeo e o DVD. A geladeira, o fogão e a máquina de lavar ficam no quarto da mãe dela.

Ao contrário da casa ao lado, a casa da Tauane é super limpa. A mãe dela varre e passa pano todos os dias, sem falta. Já na casa vizinha, tem muito fumo, e a mulher nunca limpa. Um dia, acharam droga na casa ao lado, deu a maior confusão, e a mãe da Tauane quase foi presa.

- Uma vez, meu irmão estava andando de bicicleta na porta de casa, passou um ônibus e ele quase morreu atropelado.

De manhã, Tauane vai para a escola. Está na terceira série, atrasada porque repetiu a segunda. Ela diz que não gosta de ir para a escola.

- Às vezes, em um dia só, a prô passa quatro lousas cheias de coisa pra copiar, é muito chato!

A única coisa que vale a pena na escola são os amigos, que ela tem muitos. São cinco meninas e cinco meninos. Uma vez ou outra, eles fazem um piquenique com lanche, salgadinho e refri.

- Cada um leva quatro reais. Eu sou a única que nunca levo nada.

À tarde, a Tauane pega um ônibus e um trem e vai de Franco da Rocha até o centro de São Paulo (é longe pra caramba!), onde vende paçoquinha. São onze por um real. De vez em quando, a pessoa só dá o dinheiro, a acaba nem levando a paçoca. Ela trabalha com a mãe e mais três irmãos menores. Parte do dinheiro fica com a mãe, que deixa uma parte para ela.

Amanhã, Tauane diz que não vai trabalhar.

- Voi viajar com meu vô para a Bahia, ver a praia.

Disse que já viajou de avião, mas não parou de vomitar. Também já foi para a praia, mas se afogou no mar quatro vezes porque não sabe nadar.

Fomos para o McDonalds, ela, pela primeira vez. Preferiu pedir o lanche dela para viagem. Para beber, escolheu Fanta, que é o refrigerante que ela mais gosta. A lembrancinha, ela escolheu o macaco, mas o que ela queria mesmo não tinha mais. Voltamos para o ponto de ônibus em que nos conhecemos.

- Tchau! Bom descanso!
- Pra você também Tauane!


por Amelie às 17:09 | 11 comentários

____________________________________________________