Lígia, 24 anos. A pior hora é quando eu lembro que tenho que entrar aqui e atualizar esse número mais uma vez.

Contato/MSN: ligiamelia@hotmail.com

Alquimia do Verbo

Onomatopéia

One Last Run

Um pouco de bossa

Tutameia em Prosa

Amarelo Banana

Champ Vinyl

Champ Chronicles

Me Exorcisa

O Vale de uma Boneca

Isshou

Carolina Villenflusser

Manual do Cafajeste

Te Dou Um Dado

 

O saco de ir embora é que tudo é pela última vez. ...

Da série coisas que eu comprei sem precisar com d...

Peraí, como assim? Explica isso melhor!

Levanta às 5h30. Se arruma. Vai pra a auto escola....

Cheirinho Acho que nunca mais vou lavar meu casaco...

O meu amor Tem um jeito manso que é só seu E que m...

A Nati ex-Paty Maionese me mandou uma brincadeirin...

Só pra lembrar que eu odeio carros, não tenho a me...

CFC Cerca de 40% das pessoas que prestam o exame ...

Eu anunciei, no começo deste ano, que o fim dos di...

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

*quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Hoje de manhã, encontrei o seguinte aviso colado na parede do meu prédio...

"Por favor, mantenham o portão trancado. Ontem dois estranhos entraram no prédio"

Meu prédio é tão sem graça...

Quem não entendeu a piada,
clique aqui


por Amelie às 19:30 | 6 comentários

____________________________________________________

*quinta-feira, 23 de novembro de 2006

Fragmento de uma conversa na rua Tabapuã, no Itaim Bibi:

- Menina, acredita que eu nunca, nun-ca fui num cassino?????

Confesso que estou chocada até agora. Como pode alguém nunca ter ido num cassino? Lamentável.


por Amelie às 21:27 | 7 comentários

____________________________________________________

*terça-feira, 21 de novembro de 2006

Hoje na faculdade, me questionaram quando eu disse que me sentia um personagem do Pica-Pau com um pirulito escrito loser no lugar da cabeça.

A resposta é clara: todo mundo tem seus dias de pirulito...


por Amelie às 12:08 | 5 comentários

____________________________________________________

*sexta-feira, 17 de novembro de 2006

- Você tem certeza que caiu aqui mesmo no ônibus?
- Sim, eu usei ele quando já estava aqui.
- Era preto?
- Uhum.
- Ah, o rapaz que estava sentado ali estava mexendo um, meio de lado.
- Pega o meu. Liga e vê se alguém atende.
- Desligado. Obrigada.
- Safado. Desligou logo.
- Me parece que quem estava com ele era aquele carteiro que subiu lá no comecinho da Angélica.
- Safado.
- É, parece que foi o carteiro mesmo.
- Carteiro?
- É, ele desceu faz uns dois pontos.
- Liga de novo, quem sabe?
- Desligado. Obrigada.

- Agência dos Correios, Marta, boa tarde. Hmmm, hmmm, sei... Bom, quem faz as entregas na Angélica sai desse endereço...
- Hmmmm, 871, hmmm...

- Não, não vi não. Mas eu estava subindo a Angélica nessa hora. Eu estava de um lado, quando eu vi o Perninha esperando o ônibus do outro lado. Ele faz as entregas na Alameda Barros.
- Hmmm, e o Perninha está por aí?
- Ele trabalha lá em cima, na central da...
- Hmmm, 65, tá. Por via das dúvidas, esse é meu telefone. Eu ofereço recompensa.

- O Perninha, quer dizer, João, só chega mais tarde.
- Que horas.
- Umas cinco.
- Vou esperar.
- Quer água.
- Uhum. Obrigada.
- Quer sentar?
- Não, obrigada.
- Quer mais água?
- Não, obrigada.

- Não vi não... não mesmo...
- Não mesmo?
- Não.
- Hmm...
- E eu peguei esse ônibus mesmo, só que mais tarde.
- Me disseram que viram você na Angélica neste horário.
- Não, foi um poquinho mais tarde. Olha, se estivesse comigo, estava nas suas mãos.
- Uhum, obrigada. Por via das dúvidas, esse é meu telefone. Eu ofereço recompensa.

Não fui com a cara do tal Perninha.
Se precisarem falar comigo, me liguem em casa.


por Amelie às 10:17 | 5 comentários

____________________________________________________

*quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Meu gato mia, mia, mia na porta do meu quarto. Um miado que dá medo de tão triste. Eu abro a porta, ele roça o corpo nas minhas pernas em agradecimento. Daí ele começa a miar de novo. O mesmo miado choroso. Agora, ele quer que eu me sente na minha cama, com as pernas dobradas de tal maneira que ele possa deixar debaixo delas. Daí ele dorme profundamente, por horas e horas, mesmo que eu saia dali. Só vai acordar bem mais tarde, para comer ou fazer um xixizinho.

A felicidade é algo tão simples para os gatos.


por Amelie às 13:46 | 6 comentários

____________________________________________________