Lígia, 24 anos. A pior hora é quando eu lembro que tenho que entrar aqui e atualizar esse número mais uma vez.

Contato/MSN: ligiamelia@hotmail.com

Alquimia do Verbo

Onomatopéia

One Last Run

Um pouco de bossa

Tutameia em Prosa

Amarelo Banana

Champ Vinyl

Champ Chronicles

Me Exorcisa

O Vale de uma Boneca

Isshou

Carolina Villenflusser

Manual do Cafajeste

Te Dou Um Dado

 

O saco de ir embora é que tudo é pela última vez. ...

Da série coisas que eu comprei sem precisar com d...

Peraí, como assim? Explica isso melhor!

Levanta às 5h30. Se arruma. Vai pra a auto escola....

Cheirinho Acho que nunca mais vou lavar meu casaco...

O meu amor Tem um jeito manso que é só seu E que m...

A Nati ex-Paty Maionese me mandou uma brincadeirin...

Só pra lembrar que eu odeio carros, não tenho a me...

CFC Cerca de 40% das pessoas que prestam o exame ...

Eu anunciei, no começo deste ano, que o fim dos di...

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

*domingo, 16 de julho de 2006

Saudades infinitas...


por Amelie às 21:55 | 3 comentários

____________________________________________________

*sexta-feira, 14 de julho de 2006

Segunda-feira peguei o metrô e desci na estação Penha. Perto da ponte Aricanduva. Estava com pressa para fotografar um professor que eu tinha entrevistado para o estágio, por isso me aventurei a andar naquela coisa claustrofóbica que é o metrô. Na volta, com mais calma, peguei o ônibus. Pra ver o caminho. Esse foi o lugar mais longe na zona leste que eu já fui sozinha. Na estação Penha, já quando estava voltando, perguntei para um vendedor de bilhetes de ônibus onde eu podia pegar um ônibus para o centro. "De Guarulhos?" Não moço,de São Paulo mesmo.

No dia seguinte, fui buscar um DVD que eu comprei pelo Mercadolivre. Eu preferi buscar na casa do sujeito que estava vendendo do que ter que esperar uma interminável semana até que ele chegasse pelo correio. Rua Vergueiro. Hmmm, fácil. Mas eu não sabia que a Vergueiro era tão grande. Número 9000 que, mais tarde, eu fui descobrir que era quase na esquina com a Via Anchieta. Peguei um metrô e mais dois ônibus pra chegar. Na volta, perguntei para um transeunte: "Como faço para chegar no centro?" "De São Bernardo?" Essa não era minha semana de sorte. Até então, porque minutos depois descobri que o ônibus que eu peguei a minha vida inteira, e cujo trajeto eu só conhecia a metade, fazia ponto final atrás do prédio do cara que me vendeu o DVD. 478-P, Pompéia Sacomã.

Enquanto esperava o ônibus, um menino puxou papo comigo. Curioso para saber o que alguém que mora no outro ponto final da linha fazia tão longe de casa. Quando eu expliquei sobre o DVD, ele quis saber tudo sobre o mercadolivre. É bom mesmo? É confiável? Você já vendeu e comprou o que? Se o menino um dia fizer negócio pelo ML, eles vão ter que me pagar comissão. Uma hora e meia depois, eu estava em casa.

Eu gosto de conhecer a São Paulo que não interessa a ninguém. Gosto de pegar ônibus que vão do nada pra lugar nenhum só pra conhecer o caminho. Minha felicidade é proporcional à distância que eu precisarei percorrer, desde que sejam caminhos pelos quais eu nunca passei. Eu ainda vou comprar um mapa da cidade, e riscar todos os lugares para os quais eu já fui. E vou para os lugares que eu nunca fui só para poder riscar.

Gosto bobo. Mas quem não tem o seu que atite a primeira pedra. E outra, se um dia eu falar como jornalista, posso pedir emprego no Guiamais ou na SPTrans.

Ah, o DVD era do filme "Cantando na Chuva". Original. 13 reais e ainda me valeu uma viagem para a Vila Vera.


por Amelie às 21:56 | 7 comentários

____________________________________________________

*terça-feira, 11 de julho de 2006

Os cem melhores filmes de todos os tempos de acordo com o American Film Institute. Já assisti 26. Minha meta é ver todos. Vamos ver quantos eu consigo ver nas férias.

1. Cidadão Kane (1941) - ok
2.
Casablanca (1942) - ok
3. O Poderoso Chefão (1972) - ok
4.
E o Vento Levou (1939)
5. Lawrence da Arábia (1962)
6. O Mágico de Oz (1939) - ok
7.
A Primeira Noite de um Homem (1967) - ok
8.
Sindicato de Ladrões (1954)
9. A Lista de Schindler (1993) - ok
10.
Cantando na Chuva (1952) - ok
11.
A Felicidade Não Se Compra (1946)
12. Crepúsculo dos Deuses (1950)
13. A Ponte do Rio Kwai (1957)
14. Quanto Mais Quente Melhor (1959)
15. Star Wars Episódio IV - Uma Nova Esperança (1977)
16. A Malvada (1950)
17. Uma Aventura na África (1951)
18. Psicose (1960) - ok
19.
Chinatown (1974)
20. Um Estranho no Ninho (1975)
21. As Vinhas da Ira (1940)
22. 2001: Uma Odisséia no Espaço (1968)
23. O Falcão Maltês (1941)
24. Touro Indomável (1980)
25. E.T. - O Extra-Terrestre (1982) - ok
26.
Dr. Fantástico (1964)
27. Bonnie & Clyde - Uma Rajada de Balas (1967)
28. Apocalypse Now (1979)
29. A Mulher Faz o Homem (1939)
30. O Tesouro de Sierra Madre (1948)
31. Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977)
32. O Poderoso Chefão: Parte II (1974)
33. Matar ou Morrer (1952)
34. O Sol é Para Todos (1962) - ok
35.
Aconteceu Naquela Noite (1934)
36. Perdidos na Noite (1969) - ok
37.
Os Melhores Anos de Nossas Vidas (1946)
38. Pacto de Sangue (1944)
39. Doutor Jivago (1965)
40. Intriga Internacional (1959) - ok
41.
Amor, Sublime Amor (1961)
42. Janela Indiscreta (1954) - ok
43.
King Kong (1933)
44. O Nascimento de uma Nação (1915)
45. Uma Rua Chamada Pecado (1951)
46. Laranja Mecânica (1971)
47. Taxi Driver (1976)
48. Tubarão (1975)
49. Branca de Neve e os Sete Anões (1937) - ok
50.
Butch Cassidy (1969)
51. Núpcias de Escândalo (1940)
52. A Um Passo da Eternidade (1953)
53. Amadeus (1984)
54. Sem Novidade no Front (1930)
55. A Noviça Rebelde (1965) - ok
56.
M.A.S.H. (1970)
57. O Terceiro Homem (1949)
58. Fantasia (1940) - ok
59.
Juventude Transviada (1955) - ok
60.
Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida (1981) - ok
61.
Um Corpo que Cai (1958) - ok
62.
Tootsie (1982)
63. No Tempo das Diligências (1939)
64. Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1977) - ok
65.
O Silêncio dos Inocentes (1991)
66. Rede de Intrigas (1976)
67. Sob o Domínio do Mal (1962)
68. Sinfonia de Paris (1951)
69. Os Brutos Também Amam (1953)
70. Operação França (1971)
71. Forrest Gump - O Contador de Histórias (1994) - ok
72.
Ben-Hur (1959) - ok
73.
O Morro dos Ventos Uivantes (1939)
74. Em Busca do Ouro (1925)
75. Dança com Lobos (1990)
76. Luzes da Cidade (1931) - ok
77.
Loucuras de Verão (1973)
78. Rocky, Um Lutador (1976)
79. O Franco-Atirador (1978)
80. Meu Ódio Será Sua Herança (1969)
81. Tempos Modernos (1936) - ok
82.
Assim Caminha a Humanidade (1956)
83. Platoon (1986)
84. Fargo - Uma Comédia de Erros (1996)
85. O Diabo a Quatro (1933)
86. O Grande Motim (1935)
87. Frankenstein (1931)
88. Sem Destino (1969) - ok
89.
Patton - Rebelde ou Herói? (1970)
90. O Cantor de Jazz (1927)
91. Minha Bela Dama (1964)
92. Um Lugar ao Sol (1951)
93. Se Meu Apartamento Falasse (1960)
94. Os Bons Companheiros (1990)
95. Pulp Fiction: Tempo de Violência (1994)
96. Rastros de Ódio (1956)
97. Levada da Breca (1938)
98. Os Imperdoáveis (1992)
99. Adivinhe Quem Vem Para Jantar (1967) - ok
100.
A Canção da Vitória (1942)


por Amelie às 21:14 | 7 comentários

____________________________________________________

*segunda-feira, 10 de julho de 2006

- Tomara que não chova hoje.
- Tomara que dê tempo de atravressar a rua antes do sinal abrir.
- Tomara que a minha mãe tenha feito alguma coisa gostosa para a janta.
- Tomara que hoje passe aquele episódio de Friends.
- Tomara que sobre dois reais para eu tomar um sorvete.
- Tomara que as notas já estejam no site.
- Tomara que alguém leia e comente esse post.
- Tomara que eu não encontre aquela velha chata no corredor.
- Tomara que o dia 15 chegue logo.
- Tomara que ainda não tenham vendido aquela blusa.

A partir de hoje, chega. Não vou mais gastar pensamento positivo com coisa pequena. Acho que eu estou desperdiçando...


por Amelie às 09:10 | 4 comentários

____________________________________________________

*quinta-feira, 6 de julho de 2006

- Eu era tão feio que nem minha mãe me quis!

Adotado ainda bebê, ele tinha raquitismo e mais um monte de doenças.

- Desculpa o comentário moça, mas você não tem barriga nenhuma!!! Como você consegue? Sabe, é que eu já perdi 360 quilos. Fiz cirurgia de estômago e fiquei dois anos internado.

Engordou de tanto tomar remédio quando criança. Depois da cirurgia de redução do estômago, ficou com artrose como sequela.

- Caaaalma moça! Tem que encostar o cartão se não você não passa!

Em São Paulo há dez meses, trabalha como cobrador de ônibus há dois.

- Vim pra São Paulo com emprego, mas saí porque meu chefe era muito nervoso! Fiquei um mês pensando no que fazer... pensando em voltar pra casa... Daí consegui este emprego porque tinha vaga pra deficiente. Preenchi a ficha num dia, no outro comecei a trabalhar.

O sotaque arrastado não nega sua origem.

- Sou de um dos quatro "b" de Minas: Belzonte, Beraba, Berlândia e a bosta de Araguari! Hahaha, eles ficam danados quando a gente fala isso!

Do salário que ganha como cobrador, boa parte vai para os pais, que continuaram em Minas.

- Meu pai tá com aquele maldito câncer de próstata. E o velho é teimoso e não trata...

Por causa da falta de dinheiro, mora num galpão atrás de um bar, do outro lado da rua em relação à garagem de ônibus.

- Eu pago setenta reais. Se eu gastar mais, não tenho como mandar nada pros meus pais. Tem uma cama com um cobertor, mas eu quero comprar mais um porque tá muito frio, e ataca minha artrose. Mas é jóia lá. Seu Hélio do bar é gente fina, deixa eu comer e pagar só no dia 20.

Além disso, tem más recordações das pensões.

- Eu dormia num quartinho com mais um homem numa pensão em Guarulhos. Eu não tinha nada de valor, só uma coleção de isqueiros que eu juntei por 15 anos. E não é que me levaram a coleção embora? E levaram também uma garrafinha de plástico de água. No galpão eu durmo sozinho, é jóia.

Durante uma tentativa frustrada de paquerar uma passageira, descobre que ela é casada.

- É bom ser casar?

Solteiro, sua única família são os pais.

- Minha mãe chora todos os dias pedindo pra eu voltar. Aqui em São Paulo? Aqui somos só eu e Deus! E meus anjos da guarda!

----

Ônibus em São Paulo: jornalismo literário sem nem mexer a bunda da cadeira.


por Amelie às 19:26 | 5 comentários

____________________________________________________

*terça-feira, 4 de julho de 2006

Eu sou uma pessoa legal. Eu não jogo papel de sorvete na rua, eu deixo as velhinhas sentarem no ônibus mesmo quando eu estou cansada, caída e acabada e elas leves e saltitantes, eu devolvo tudo que eu peguei emprestado, eu arrumo a cama da minha mãe quando ela sai de manhã para trabalhar, eu torço para o Brasil na copa mesmo quando o time joga vergonhosamente, eu pago minhas balas na padaria mesmo quando não tem ninguém me vendo para cobrar, eu tento falar bom dia pra todo mundo mesmo quando estou mal humorada, eu passo cola para os colegas necessitados...

Mas hoje eu acordei com a mais plena certeza de que, assim que eu morrer, eu vou direto pro inferno, sem nem fazer escala no purgatório.

O diabo deve ter uma foto minha bem grande pendurada na parede, e um relógio em contagem regressiva, ansioso com a minha chegada.


por Amelie às 08:53 | 4 comentários

____________________________________________________

*domingo, 2 de julho de 2006

Quando a gente é jovem acredita em todas as histórias bonitas que nos contam. A idade vai acabando com todas as nossas ilusões. Mas em algumas coisas eu me recuso a deixar de acreditar.

Eu já estava revoltada quando quiseram me fazer descer guela abaixo que o quadro Guernica, do Picasso na verdade, ao contrário do que todos pensam e do que todas as evidências indicam, NÃO simboliza a Guerra Civil Espanhola, mas é na verdade uma homenagem a um toureiro, e a um toureiro, ainda por cima, chamado Joselito.

Mas a gota d'água pra mim veio hoje: li no blog de uma amiga minha da FFLCH que o verde, o azul e o amarelo da bandeira do Brasil não têm nada a ver com a exuberância da natureza da nossa querida pátria. As cores teriam sido escolhidas simplesmente por serem as cores do brasão da casa de Bragança.

Não, não, não. Já me tiraram o Papai Noel, o coelhinho da Páscoa e a fada do dente.
Tem coisa que eu vou continuar acreditando até morrer. Nem que seja pelo gostinho de não dar o braço a torcer.


por Amelie às 13:16 | 4 comentários

____________________________________________________