Lígia, 24 anos. A pior hora é quando eu lembro que tenho que entrar aqui e atualizar esse número mais uma vez.

Contato/MSN: ligiamelia@hotmail.com

Alquimia do Verbo

Onomatopéia

One Last Run

Um pouco de bossa

Tutameia em Prosa

Amarelo Banana

Champ Vinyl

Champ Chronicles

Me Exorcisa

O Vale de uma Boneca

Isshou

Carolina Villenflusser

Manual do Cafajeste

Te Dou Um Dado

 

E viva o poder ultrajovem! Outro dia, eu fui com ...

Depois de meses, terminei de ler o Anthology, dos ...

O ápice do meu carnaval foi ir ao cinema com dois ...

Quando eu vou comer bolacha eu puxo a fitinha do l...

Porque me obrigaram, eu mudei para o novo blogspot...

Extravagância consumista Me custou bem mais do ...

Aquele tal de Cícero não-sei-das-quantas, que pode...

- Consegui um estágio novo. Quero sair.- Você fica...

Le Fabuleux destin d'Amelie Bonfant - Sabe aquelas...

Ela mente, ela não ouve as pessoas, ela é egoísta....

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

*sexta-feira, 2 de março de 2007

A cada semana, a Revista Veja nos brinda com uma nova e revolucionária chave para a longa vida. Se nesta semana, o trunfo é ingerir doses cavalares de suco de alho batido com casca de maçã e vinagre, na próxima é fazer meia hora de musculação e tomar uma dose vinho - tinto, só pode ser tinto - por dia. Até, claro, descobrirem que não é nada disso: vive mais quem tem pensamentos positivos, cria plantas carnívoras para alegrar, toma uma aspirina por semana ou faz tratamento creme de chocolate suíço e pílulas de pó de ouro.

Pois eu, só de raiva, vou continuar comendo três vezes o recomendado por dia de gordura trans, vou entupir minhas veias com mau colesterol e torcer para que o álcool de todas as doses de vodka que eu tomar as desentupa. Vou esturricar no sol até ficar com a pele ardida e, quando e somente quando, a a consciência pesar, vou passar filtro solar 2, vencido. Vou tomar 5 aspirinas no primeiro sinal de dor de cabeça e não vou tomar iogurtes funcionais pra regular meu intestino. Vou transar com quem eu quiser e sem camisinha, vou atravessar a rua descuidada, ouvindo MP3 no último volume, cantando e dançando desafinada, vou pra a balada, encher a carta e pegar carona com alguém ainda mais bêbado. Vou cair no golpe do sequestro por telefone e ter um início de enfarto. Vou comer cachorro quente, yakissoba, acarajé e churrasquinho grego na rua, com direito a três sucos, ainda por cima. Vou mandar tomar no cu aquela venha chata do meu prédio e foda-se que um dia feliz começa com um sorriso. Vou gastar toda a minha poupança acumulada, entrar no cheque especial, gastar mais do que posso, roubar mercadorias do mercado, ficar com o nome sujo na praça, lesar o imposto de renda e fugir do país pela fronteira com o Paraguai.

.
.
.
.
.
Minha mãe traz toda a semana a Veja para casa. Estou começando a achar que isso é que não faz nem um pouco bem para a saúde.


por Amelie às 20:30 | 12 comentários

____________________________________________________